O que fazer se o seu filho contrair a Gripe A | Pequenada
Início
>
Saúde & Crescimento
>
O que fazer se o seu filho contrair a Gripe A

O que fazer se o seu filho contrair a Gripe A

O que fazer se o seu filho contrair a Gripe A
Criança com uma mascara
Crédito da Imagem: 1

Entre o início da pandemia de Gripe A em Portugal, em Maio de 2009, e até à última atualização dos dados referentes à mesma, em Abril de 2010, a Direcção-Geral da Saúde registou mais de 166,992 casos de Gripe A (vírus H1N1), 122 dos quais fatais. Nos dias que correm, nunca é demais estar atento e informado. Se receber uma chamada da escola do seu filho a informar-lhe que este apresenta sintomas de Gripe A, não entre em pânico.

  • Se suspeitar que o seu filho possa estar infetado com o vírus H1N1 deve, em primeiro lugar, ligar para a Linha de Saúde 24 – 808 24 24 24 – e seguir as instruções que lhe são dadas. (No Brasil, a linha de saúde é o 0800 61 1997). Se a suspeição surgir na escola ou no infantário, o procedimento deve ser o mesmo.
  • No caso de a criança ser diagnosticada fora do horário e espaço escolar, deve informar imediatamente a escola, para que esta possa tomar as devidas advertências: desinfeção da sala de aula, alertar os professores, funcionários e restantes pais.
  • Se houver a hipótese de a criança ter estado em contacto com outras pessoas na altura do contágio, avise essas pessoas do sucedido.
  • Durante 7 dias, um doente com Gripe A é considerado contagioso e deve ser mantido em quarentena. A criança deve repousar num quarto sozinha e de porta fechada; idealmente deve ter também uma casa de banho exclusivamente reservada para ela.
  • Siga as instruções dadas pelo médico em termos da administração de medicamentos e vigie a febre de manhã e à noite.
  • Se for necessário o uso de máscara, adquira uma adequada ao tamanho da criança. Estas devem ser substituídas após cada utilização.
  • O quarto da criança deve ser arejado diariamente. As roupas da cama e o pijama devem ser mudados todos os dias. Areje a restante casa diariamente também.
  • Para evitar a propagação da doença, deve ser sempre o mesmo adulto a tratar da criança infetada. Mais nenhum membro da família deve entrar no quarto, principalmente grávidas, bebés, idosos e pessoas com doenças crónicas.
  • Esse adulto deve seguir todas as precauções necessárias: uso de máscara, desinfeção das mãos sempre que entrar e sair do quarto.
  • Todos os objetos que entrem e saem do quarto (roupas, agasalhos, brinquedos, copos, pratos, talheres…) devem ser devidamente lavados e/ou desinfetados.
  • A criança deve ingerir muitos líquidos para assegurar os níveis de hidratação.
  • Se a criança manifestar entretanto outros sintomas como: febre insistente, dificuldades respiratórias, vómitos, enfraquecimento, pele roxa, fastio ou recusar-se a comer, deve consultar de imediato o pediatra/médico assistente.
  • Após uma semana, a criança estará curada e poderá voltar à sua vida normal e ativa… e você pode finalmente suspirar de alívio!

Classifique o artigo