10 diferenças curiosas entre meninos e meninas no âmbito escolar | Pequenada
Início
>
Educação
>
10 diferenças curiosas entre meninos e meninas no âmbito escolar

10 diferenças curiosas entre meninos e meninas no âmbito escolar

10 diferenças curiosas entre meninos e meninas no âmbito escolar
Crianças na sala de aula
Crédito da Imagem: 1

Os estudos no âmbito do comportamento e desenvolvimento infantil escolar sucedem-se e as conclusões, embora generalizadas, são suficientemente interessantes e reveladoras para nos ajudar a perceber melhor como diferem meninos e meninas na sala de aula... e, claro, ajudá-los a superar obstáculos com sucesso.

  1. Os meninos e as meninas são motivados por fatores distintos dentro da sala de aula. Estudos revelam que dentro da sala de aula, as meninas têm na base da sua motivação agradar o professor, mesmo que não gostem ou achem o trabalho que têm em mãos apelativo. Por sua vez, os meninos não têm qualquer interesse em agradar ao professor, sendo maioritariamente motivados por trabalhos que gostem de fazer. Para além disso, os meninos têm um maior rendimento quando sujeitos a uma ligeira pressão, enquanto as meninas evidenciam maiores dificuldades face à mesma situação.
  2. As meninas pedem ajuda mais vezes do que os meninos. Como já foi identificado que os meninos não têm muito interesse em agradar o professor, sabe-se que preferem agradar aos colegas, ou seja, se sentirem dificuldades na sala de aula, em vez de pedir ajuda (porque não querem demonstrar que não sabem ou não conseguem), podem exibir comportamentos menos apropriados (“portarem-se mal”) e ficarem bem vistos aos olhos dos amigos. As meninas não têm problema nenhum em pedir ajuda quando precisam, pois, as amizades dentro da sala de aula não restringem a vontade que têm de estabelecer uma boa relação com o professor.
  3. A relação com a tecnologia difere entre meninos e meninas. Nos dias que correm, as crianças contactam com computadores cada vez mais cedo, mas ainda assim de formas diferentes: enquanto os meninos encaram-nos como um divertimento que utilizam frequentemente para jogar, explorar software educacional ou aceder à Internet; as meninas utilizam o computador com menos frequência e quase exclusivamente para fazer trabalhos de casa, email ou chat.
  4. As meninas mostram-se menos interessadas do que os meninos em aulas de ciências. No que toca à área das ciências, as meninas mostram-se mais entediadas, desligadas ou ansiosas quando frequentam este tipo de aulas. As meninas aparentam estar mais concentradas na matéria teórica ou na realização de trabalhos de casa do que os meninos, mas estes assumem a liderança nas vertentes laboratoriais, enquanto elas preferem ser lideradas ou simplesmente ficarem a observar.
  5. Meninos e meninas reagem de formas diferentes ao stress. Em determinados momentos, a aprendizagem escolar pode ser fator de stress, quer para os meninos, quer para as meninas. Porém, ambos lidam com o stress de maneira distinta: é mais comum os meninos “portarem-se mal” enquanto as meninas reagem com choro e lágrimas. Em momentos de pressão, porém, os meninos reagem muito melhor do que as meninas.
  6. As meninas têm melhores notas em geral, os meninos têm melhores notas em particular. Em testes estandardizados (como os de QI, por exemplo), os meninos destacam-se mais do que as meninas, no entanto, elas têm melhores notas em praticamente tudo – talvez porque têm uma maior autodisciplina e vontade em serem bem-sucedidas no que toca ao rendimento escolar.
  7. Os meninos e as meninas utilizam os seus hemisférios esquerdos e direitos de forma diferente. Em idade escolar, há uma distinção na forma como as crianças de ambos os sexos utilizam os hemisférios esquerdos e direitos dos seus cérebros: os meninos utilizam o hemisfério esquerdo para memorizar factos, regras e catalogar informação, enquanto o hemisfério direito é utilizado nas capacidades visuais, espaciais e motoras. As meninas, por sua vez, utilizam o hemisfério esquerdo para falar, ler e escrever, enquanto o hemisfério direito é utilizado para compreender e simpatizar com os sentimentos dos colegas e professores.
  8. Existem diferenças de perceção entre meninos e meninas. Desde a nascença que as meninas manifestam uma maior capacidade auditiva do que os meninos. Similarmente, em termos visuais, os olhos das meninas captam melhor as cores e as texturas, enquanto os olhos dos meninos registam melhor os movimentos e as direções. Estas diferenças vão-se diluindo ao longo dos anos até desaparecerem na idade adulta, mas podem ser fundamentais durante a idade escolar.
  9. Os meninos demoram mais tempo a desenvolver as capacidades de fala, leitura e escrita do que as meninas. Esta disparidade de aprendizagem está diretamente relacionada com as diferenças que existem no desenvolvimento cerebral de ambos os sexos, manifestando-se claramente em crianças de idade escolar. A verdade é que os meninos necessitam de mais ajuda no que toca a expressarem-se quer verbalmente, quer por escrito.
  10. Algumas diferenças entre meninos e meninas são de nascença. É sabido que, enquanto recém-nascidos, as meninas são mais atraídas aos rostos e os meninos ao movimento – estes estímulos continuam a ser verdadeiros durante os primeiros anos de aprendizagem e podem influenciar a sua motivação e interesse dentro da sala de aula.

Classifique o artigo