As principais vantagens das crianças estarem em contacto com a natureza | Pequenada
Início
>
Diversão
>
As principais vantagens das crianças estarem em contacto com a natureza

As principais vantagens das crianças estarem em contacto com a natureza

As principais vantagens das crianças estarem em contacto com a natureza
Crédito da Imagem: 1

As crianças usufruem de inúmeras vantagens no contacto com a natureza e têm imensos benefícios quando interagem com o meio ambiente natural. Conheça as principais vantagens das crianças estarem em contacto com a natureza e entenda que só lhes faz bem!

Respirar ar puro

A qualidade do ar respirado pelas crianças é uma enorme preocupação para pais e educadores. Nos grandes centros urbanos o ar é cada vez mais poluído, e os pequenos pulmões das crianças recebem doses massivas de componentes indesejáveis durante o processo respiratório.

Quando se encontram na natureza as crianças têm acesso a um ar mais puro e livre de ingredientes tóxicos que lhes permite uma melhor qualidade de vida e, por consequência, mais saúde.

Entrar em contacto com as coisas simples

Na natureza as crianças aprendem a estar em contacto com as coisas simples da vida. Longe das limitações de quatro paredes, elas fazem as mais diversas atividades e reaprendem a saltar, correr, nadar, jogar à bola, etc.

Embora o conforto da vida moderna seja indispensável às crianças de hoje, criadas para sobreviverem num mundo altamente competitivo e tecnológico, a verdade é que a comunhão com a natureza faz despertar forças primitivas adormecidas pela inatividade física das cidades.

O despertar desse lado primitivo é como um retorno às origens do ser humano, retorno esse que as crianças não têm ainda capacidade para perceber, mas que conseguem sentir de forma inconsciente e que se traduz em benefícios de vária ordem.

Melhor disposição anímica

A exposição ao ar livre e a prática de exercícios físicos facultados pelo contacto com a natureza vão contribuir para uma notável melhoria no estado anímico das crianças.

Não é raro verem-se crianças tristes, deprimidas, ansiosas e revelando todos os sintomas de stress manifestados pelos adultos que as rodeiam. Quando na natureza, as crianças relaxam, desarmam defesas e desfrutam da maravilha de serem pequenas, com todas as possibilidades do mundo e com todo o tempo para serem felizes de forma inocente e natural.

Valorizar as relações pessoais

É muito frequente observar-se que crianças habituadas a passarem férias na aldeia, ou no campo são crianças muito mais sociáveis, espontâneas e solidárias.

Em contacto com a natureza a criança aprende a valorizar as relações pessoais e humanas. Manter um convívio direto com outras crianças e adultos faz com que a criança dê valor às amizades e aos contactos humanos.

Claro que não é apenas na natureza que isso pode acontecer, mas indiscutivelmente nos meios onde se vive de forma mais natural a interação entre pessoas apresenta um acréscimo de valorização.

Regularizar o ritmo dos sonos

Em contacto com a natureza as crianças regularizam o ritmo natural de sono. A vida mais ativa e saudável vai fazer com que a criança esteja cansada de noite e sinta necessidade de dormir mais cedo. “Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer”, diz o provérbio popular e com muita razão.

Quantos de nós não fomos já encontrar as nossas crianças acordadas até de madrugada em frente ao computador ou a ver TV, desperdiçando a noite de sono em jogos e programas banais! Pois bem… em contacto com a natureza isso dificilmente poderá acontecer. A criança chega à noite tão cansada de correr, saltar e pular na rua que só terá ânimo para se deitar e dormir descansadamente até à manhã seguinte.

Melhorar a forma física

As atividades dinâmicas e o ar puro que a natureza proporciona às crianças vão por consequência melhorar a forma física dos mais pequenos.

Ginasticando de forma mais conveniente o corpo, as crianças perderão gorduras supérfluas combatendo assim os riscos de obesidade infantil. Ao mesmo tempo, na natureza as crianças apresentam um maior desenvolvimento muscular em relação ao que seria espectável em meios urbanos.

A falta de exercício, o excesso de horas dedicadas a atividades sedentárias e a pobreza do ar respirado pelas crianças nas cidades são os principais responsáveis pelo menor desenvolvimento físico infantil, e pelo surgimento dos problemas daí resultantes.

Manter uma alimentação saudável

É inegável que quando em comunhão com a natureza as crianças se alimentam de forma mais saudável.

Frutas, legumes, ovos, leite, pão, carne e peixe essenciais a um harmonioso crescimento estão disponíveis em maior quantidade quando as crianças estão na natureza. Também o apetite apresenta melhorias e porque a criança tem mais vontade de comer, come mais e com maior prazer.

Implementar uma dieta rica em vitaminas, proteínas, sais minerais e todos os nutrientes indispensáveis ao crescimento infantil é muito mais fácil estando em contacto com a natureza. Não é que nas cidades não se possa também facultar uma alimentação saudável às crianças, mas a verdade é que em comunhão com a natureza a própria criança sente maior desejo de comer e esse fator aliado à melhor qualidade dos alimentos faz toda a diferença.

Proporcionar às crianças a possibilidade de contactarem com a natureza com a maior regularidade possível é um bem enorme. Logicamente que isso nem sempre é possível, pelo menos não com a assiduidade de que gostaríamos, mas ainda assim há que tentar manter a natureza na vida das nossas crianças. Se não podermos levá-las a passar férias no campo, então idas aos jardins, aos parques, à praia ou à piscina também são muito bem-vindas. Cada um faz o melhor que pode, com as ferramentas a que tem acesso e o importante é não esquecer que a natureza deve ser uma constante na vida das crianças.