Início
>
>
Como trabalhar a autoestima de uma criança

Como trabalhar a autoestima de uma criança

Como trabalhar a autoestima de uma criança
Crédito da Imagem: 1

Absorventes como esponjas, as personalidades da pequenada formam-se a partir de exemplos, conselhos e partilhas de valores. A autoconfiança e o amor por si mesma são das noções mais importantes que podemos fomentar numa criança. Neste artigo vamos ficar a conhecer como trabalhar a autoestima de uma criança.

Leve-a a acreditar que é capaz

As crianças são muitas vezes temerosas e desconfiadas em relação às suas próprias capacidades. Uma das melhores maneiras de lhes trabalhar a autoestima é levando-as a acreditar que são capazes. Explique à criança que ela tem muitíssimas capacidades, que é inteligente, esperta, simpática e que seguramente com muito empenho e esforço vai conseguir tudo aquilo a que se propuser.
Mostre-lhe que a força de vontade é essencial para se conseguir alcançar o que se deseja, e que quando alguém acredita sinceramente em si mesmo, consegue fazer com que todos à sua volta acreditem nele também. Faça da sua criança um ser vencedor leal e honesto, ensine-a a ser um adulto integro e batalhador.

Seja realista sem ser pessimista

Às crianças é permitido sonhar e embarcar em fantasias irrealizáveis. Afinal de contas são crianças e têm o direito a ser inocentes. Contudo, os adultos têm a obrigação de ter os pés bem assentes no chão e, sem serem pessimistas, devem ter a noção exata do que é ou não alcançável.
Seja realista naquilo que incentiva a criança a fazer. Não melhorará em nada a autoestima da criança fazendo-a perseguir um objetivo inalcançável. Não lhe corte as asas, deixe-a voar, mas não alimente fantasias.

Não estabeleça comparações

Não compare nunca uma criança com outras crianças, quer sejam familiares, amigos ou vizinhos. Não caia no erro de dizer “Põe os olhos na tua irmã. Mais novinha e tão mais inteligente.” Não seja negativo, esforce-se antes por valorizar todas as boas qualidades da criança, saliente-lhe tudo aquilo de que gosta na sua forma de estar e de ser.
Explique-lhe que deve dar sempre o seu melhor, mas se mesmo assim não conseguir aquilo a que se propôs isso não é o fim do mundo e não equivale a uma demonstração de incompetência.
Todos temos mais habilidade para umas coisas do que para outras e certamente que a criança que não é excelente aluna em matemática, será muito boa em ginástica, ou português, ou filosofia. Ou se não for relevantemente boa a disciplina nenhuma, isso não impede que seja uma pessoa maravilhosa e preciosa.

Deixe que a criança se sinta amada

Não permita que a sua criança pense que o amor que você lhe tem está dependente do comportamento dela. Claro que os maus comportamentos, as birras, as desobediências graves ou as atitudes menos corretas têm que merecer reprovação. Mas mesmo nessas alturas é muito importante que a criança sinta que a punição que está a receber não afeta o amor que você lhe tem.
Existem várias formas de trabalhar a autoestima das crianças, mas todas elas passam por fazer com que a criança se sinta amada e querida, muito para além das pequenas infrações que possa cometer.

Exalte as suas pequenas vitórias

Para uma criança qualquer feito é uma conquista e qualquer conquista precisa de ser louvada. Seja aquilo que for que a criança lhe conte e que represente uma vitória ou uma conquista da parte dela merece o seu louvor.
Valorize-lhes a autoestima e ajude as crianças a ganharem confiança em si mesmas. Se não fizeram consigo algo semelhante, faça-o você agora. Seja melhor do que aquilo que pensa conseguir ser. Seja o melhor adulto que poder, ajude a moldar personalidades felizes.

Não falte nunca ao prometido

A autoestima de uma criança trabalha-se também através da forma como a ensinamos a ver o mundo dos adultos. Para uma criança crescer feliz e disciplinada ela precisa de acreditar nas pessoas que lhe são mais próximas.
É muito difícil para uma criança lidar com a desilusão de uma promessa quebrada. A criança aceitará mais facilmente se usar a honestidade com ela, explicando que não vai poder, por exemplo, comparecer na festa de Natal da escola, porque nesse dia tem uma importante reunião de trabalho, do que se lhe mentir dizendo que vai lá estar na primeira fila a aplaudi-la, e depois acabar por faltar.
Manter uma postura de honestidade é uma das melhores formas de criar crianças seguras e confiantes.

Crie a sua criança para o mundo

Explique desde cedo à criança que o mundo não é um conto de fadas. Crie a sua criança para o mundo real, não para um mundo utópico onde ela não se saberá defender quando adulta.
Ensine-lhe que se deve ter cautela com desconhecidos, avise-a sobre os perigos que pode correr apesar do seu pequeno tamanho. Não tenha receio de a abalar se souber usar os termos corretos e se tiver as conversas adequadas à sua idade. Tenha receio que a criança se desaponte com os primeiros problemas que vier a encontrar num mundo que suponha ser perfeito.
Incuta na criança a noção de que as coisas são difíceis e que isso não tem nada a ver com ela. Fortaleça-lhe a autoestima prevenindo-a sobre o mundo lá fora sem no entanto a assustar. Deixe que ela construa as suas próprias defesas e se torne assim mais responsável e mais preparada para os embates da vida.

Trabalhar a autoestima de uma criança não é tarefa nada fácil. No entanto se ela for educada com carinho, atenção e muito amor será, certamente, um adulto responsável e com uma grande confiança e autoestima.