Início
>
>
Como é que as crianças aprendem a lidar com as derrotas

Como é que as crianças aprendem a lidar com as derrotas

Como é que as crianças aprendem a lidar com as derrotas
Crianças a brincar no parque da escola
Crédito da Imagem: 1

Lidar com a derrota é uma das situações com que as crianças se deparam frequentemente, e é fundamental que aprendam a saber encarar esse problema de frente. Conheça algumas técnicas que ajudam as crianças a lidar com a derrota e prepare-as para o futuro.

Não é o fim do mundo

Uma coisa essencial para que os mais pequenos lidem melhor com as derrotas é interiorizarem que nenhuma derrota representa o fim do mundo. Uma derrota nunca é definitiva por mais birras que existam, é apenas um compasso de espera antes da vitória.

Incuta à sua criança a noção de que nada está irremediavelmente perdido enquanto ela se esforçar e acreditar. Se não for agora, será para a semana, para o mês, para o ano que vem.

A ideia de tempo não é a mesma para adultos e crianças, mas se lhe explicar com calma ela vai perceber que existe sempre uma nova oportunidade para as coisas que valem realmente a pena.

Deixe bem claro que o afeto da família não depende das vitórias e não termina com as derrotas

Algumas crianças sentem que precisam de vencer permanentemente como forma de garantir o amor dos pais. Competem desenfreadamente não por desejarem realmente ganhar, mas porque receiam perder o afeto daqueles a quem amam.

Se a sua criança estiver incluída nesse grupo, trate rapidamente de desmistificar essa noção errada que ela tem. Deixe bem claro que o amor que lhe devotam não depende de vitórias, ou de derrotas.

O amor dos pais pelos filhos é incondicional, e é isso mesmo que a criança tem de entender. Será muito mais fácil lidar com as derrotas se a criança não vir nesse facto uma ameaça à sua segurança e ao seu espaço. Talvez você já não se lembre, mas quando somos pequeninos temos um medo enorme de que deixem de gostar de nós…

Mostre que derrota não é sinónimo de estupidez ou de que tenha feito algo mal

É fundamental que a criança não sinta a derrota como consequência de algo errado que tenha feito, se de facto ela se esforçou o mais que podia para vencer.

Mostre aos seus mais pequenos que quando nos empenhamos num objetivo e damos o nosso melhor, já estamos a fazer tudo aquilo que está na nossa mão fazer. Daí o ser tão importante que nos esforcemos a sério na execução das nossas tarefas, não só porque assim temos muito mais probabilidades de alcançar o que desejamos, mas também porque ficaremos de consciência tranquila quanto aos resultados obtidos, sejam eles quais forem. Quem faz o que pode e de forma disciplinada, a mais não é obrigado, não é verdade?

As derrotas fazem parte da vida, assim como as vitórias

Explique à criança que pela vida fora ainda irá sofrer eventualmente algumas derrotas, bem como muitas vitórias. Vencer ou perder fazem parte da vida de todas as pessoas, e a criança não precisa de se sentir infeliz quanto a isso.

Quando existem várias pessoas a desejarem um único prémio, é lógico que apenas uma delas irá conseguir. Mas isso não implica que quem fica de fora se deva sentir envergonhado, ou zangado.

Desde que as competições sejam honestas não há motivo para tristezas. Afinal alguém tem de vencer e nem todos podem ser vencedores!

No entanto existem muitas maneiras de ganhar. Se a criança fez o seu melhor, se aprendeu, aumentou o seu conhecimento e fortaleceu a sua personalidade enquanto tentava vencer, então já é um ganhador, mesmo sem subir ao pódio.

Ensine a criança a não guardar ressentimentos

A raiva e a frustração tomam frequentemente conta do espírito das crianças quando são derrotadas. Na sua compreensão infantil sentem-se agressivas, injustiçadas e chegam a canalizar a sua ira agindo contra quem venceu, ou isolando-se das outras pessoas numa tentativa de não enfrentar os olhares de piedade, ou as palavras de recriminação de que temem vir a ser alvos.

Ilumine o coração da sua criança ensinando-lhe que não é bom guardar ressentimentos contra pessoas, nem contra a vida. Os sentimentos menos bons como a raiva, a ira, a inveja, o ciúme atraem mais sentimentos ruins.

Ficar amuada ou de beicinho, puxar os cabelos de quem ganhou, atirar com a porta, gritar ou chamar palavrões não irão alterar o facto de que daquela vez perdeu. O melhor é mesmo que a criança aceite esse facto com coragem.

Sacudir a poeira, levantar cabeça e seguir em frente atrás de novos desafios é o melhor lema. Raramente se respeita quem não sabe perder, e é de pequenina que a criança precisa de aprender isso.

Seja o exemplo vivo daquilo que pretende ensinar

Quer que a sua criança aprenda a lidar bem com as derrotas? Pois então dê-lhe o exemplo de que ela precisa para se orientar da melhor forma no combate da vida.

Não fale apenas, nem se fique pelo apregoar de bonitos sermões de moral. De que servirá isso se você reagir aos berros e aos gritos quando alguma coisa lhe corre mal? Saiba que a criança tem os olhos postos em si, muito mais do que os ouvidos.

Os mais pequenos tendem a acreditar nas regras e naquilo que veem os pais fazer. Não duvide de que as suas atitudes face às derrotas vão influenciar a forma como a sua criança vai reagir em situação semelhante. Essa é a responsabilidade de sermos pais, ou educadores.

As derrotas podem funcionar como estímulos

Em vez de a criança encarar a derrota como sendo o fim de algo, ensine-a a ver na vitória um estímulo que a incentiva a ser ainda melhor para a próxima vez.

Se tudo nos corresse sempre bem, e se as vitórias estivessem sempre garantidas provavelmente nem sentiríamos necessidade de progredir. São os contratempos e as dificuldades que nos impelem a superarmo-nos e a crescermos enquanto seres humanos.

Explique isso à criança de forma que ela consiga perceber. Utilize exemplos concretos que se adequem às experiências de vida da criança, e não receie que ela seja incapaz de entender estes conceitos. Ser criança não é sinónimo de não ter entendimento.

Desde que você consiga descobrir o caminho para o coração da criança, ela será capaz de perceber qualquer coisa que lhe seja dita. Use a influência que você tem no espírito dos mais pequenos para os ajudar a crescer e a fortalecerem as defesas naturais. Ensine as crianças a lidarem com as derrotas, para que saibam depois saborear as vitórias.

Ganhar ou perder tem um significado muito forte para as crianças. Competitivas por natureza, as crianças empenham-se a sério nos desafios em que participam, e por isso é compreensível que nem sempre reajam às derrotas da forma de que gostaríamos. Há que ter paciência e calma, e simultaneamente mostrar-lhes diferentes formas de lidar com as frustrações. As crianças que crescerem sabendo como lidar com os contratempos serão os adultos responsáveis e maduros de amanhã, e dos quais nos orgulharemos imenso, não por ganharem sempre, mas por saberem viver.