Como ensinar uma criança a andar de bicicleta | Pequenada
Início
>
Educação
>
Como ensinar uma criança a andar de bicicleta

Como ensinar uma criança a andar de bicicleta

Como ensinar uma criança a andar de bicicleta
pai a ensinar filho a andar de bicicleta
Crédito da Imagem: 1

A alegria de uma criança quando finalmente recebe a sua primeira bicicleta pode ser comparada àquela de um jovem que tira a carta de condução e o pai empresta-lhe o carro pela primeira vez. É uma sensação de liberdade e de conquista inigualável, que fica ligada às melhores memórias de infância para sempre. Prontos para pedalar?

Antes de começar a dar ao pedal

A passagem para uma bicicleta de duas rodas é normalmente precedida por horas infinitas de triciclo, uma atividade mais fácil de aperfeiçoar devido à estabilidade que as suas três rodas garantem. Ensinar uma criança a andar de bicicleta não é tarefa fácil e exige uma elevada dose de paciência e de tempo, mas ajudar a pequenada a conquistar este obstáculo, que passa a ser uma forma pura de diversão e de exercício físico, vale a pena. Comece por adquirir uma bicicleta de qualidade e adequada para a idade da criança (a partir dos 4 anos); não se esqueça do capacete, joelheiras e luvas – pode parecer excessivo, mas são ideais para amortecer eventuais quedas. A zona escolhida para aprender a andar de bicicleta deve ser calma e segura, de preferência sem qualquer tipo de trânsito (humano ou automóvel) para a pequenada se poder concentrar exclusivamente na aprendizagem.

Os 3 métodos de ensino mais populares

  1. “Rodinhas de apoio”: por norma, as bicicletas infantis vêm equipadas com “rodinhas de apoio”, ou seja, duas rodas extra nas traseiras que facilitam o equilíbrio e manuseamento da mesma. Embora este seja o método de aprendizagem mais lento é, provavelmente, o mais seguro – até ao momento em que a criança já está completamente à vontade e uma velocidade excessiva pode facilmente virar a bicicleta, resultando em quedas e lesões. Mesmo com este tipo de bicicleta, a vigilância de um adulto não é dispensada e a fase de prática será facilitada se encontrar uma zona de relva plana. Uma vez que a criança não precisa de se preocupar em manter a bicicleta de pé e direita, este método permite uma maior concentração nas técnicas de pedalar e guiar. À medida que for ganhando confiança e destreza, as “rodinhas de apoio” podem ser subidas, o que vai criar um ligeiro desequilíbrio ao qual a criança terá de responder. É normalmente nesta altura que se retiram as “rodinhas de apoio” e se avança para o aperfeiçoamento sobre duas rodas apenas.
  2. Bicicleta mais pequena: em substituição das “rodinhas de apoio” sugere-se que a criança aprenda a andar exclusivamente sobre duas rodas com recurso a uma bicicleta que seja mais pequena do que a desejada ou então que permita descer significativamente o assento. Porquê? Para permitir que a criança possa facilmente pousar os dois pés no chão: este método de aprendizagem foca, em primeiro lugar, o equilíbrio, e só depois o pedalar e o guiar. A concentração na obtenção do equilíbrio é facilitada porque a criança pode pousar os pés no chão mal se sinta desequilibrada, e assim explorar o movimento da bicicleta com menos receio, começando, por exemplo, num local com uma pequena inclinação para que a pequenada perceba e sinta o impulso frontal. Para além disso, há quem retire os próprios pedais, para que a criança possa, com os pés no chão, aprender a manusear a bicicleta à vontade. Quando sentir que a criança está pronta para avançar para outro nível, volte a colocar os pedais e vá subindo, aos poucos, a altura do banco. Se optou por utilizar uma bicicleta realmente mais pequena, estará na altura de transitar para uma maior.
  3. Apoio de um adulto: este é o método clássico (provavelmente também aprendeu assim!) de ensinar uma criança a andar de bicicleta. A criança senta-se na sua bicicleta, sem “rodinhas de apoio” e o pai ou a mãe segura-a pelos ombros, correndo ao seu lado ou atrás dela. Evite a tentação de pegar no assento ou nos guiadores, porque se o fizer vai influenciar o equilíbrio da criança sobre a bicicleta e ela não o vai aprender sozinha, como deve ser. Tal como o método das “rodinhas de apoio”, também esta técnica permite que a criança aprenda, em primeiro lugar, a pedalar e a guiar, seguido do equilíbrio, que também vai conquistando aos poucos. À medida que a pequenada ficar mais confiante e tiver mais prática, pode começar a largar a bicicleta aos poucos, deixando-a andar sozinha.

Outras dicas úteis

  • As crianças não aprendem a andar de bicicleta numa tarde de sábado, por isso, prepare-se para investir algum tempo e faça-se acompanhar de uma boa dose de paciência e de palavras motivadoras. Dependendo da idade, da sua apetência para esta atividade em concreto, para o tempo livre que têm para dedicar à sua aprendizagem, pode demorar mais ou menos tempo até que uma criança comece finalmente a pedalar sozinha, sem medo.
  • Certifique-se que a bicicleta da criança esteja sempre 100% operacional: pressão dos pneus, travões, altura e posição do assento; e que tenham sempre o capacete, luvas e joelheiras postas.
  • Se, nos primeiros tempos, a criança mostrar interesse em andar com a bicicleta na mão ou correr ao lado dela, deixe-a – é uma forma da pequenada se familiarizar com os seus movimentos e velocidades.
  • Comece por ensiná-las como se sobe para a bicicleta – passar uma perna sobre a roda traseira, posicionar-se sobre o eixo central e depois recuar para cima do assento.
  • Se optar por apoiar a bicicleta, a criança terá de se sentir completamente confortável e que pode confiar em si – até porque não é seguro, nem benéfico, se ela passar o tempo todo a espreitar sobre o ombro para ver se você ainda lá está, em vez de aprender a andar de bicicleta!
  • Nunca largue a bicicleta sem avisar a criança, se ela cair num momento em que achava que estava segura, pode perder a confiança em si e a vontade de continuar a aprender. Faça uma contagem até três em voz alta antes de largar a bicicleta.
  • Mesmo quando largar a bicicleta, faça questão de acompanhar a criança, correndo ou caminhando rapidamente ao seu lado, dizendo-lhe que está a ir muito bem!
  • Evite a tentação de manter apenas uma das “rodinhas de apoio” – pode parecer seguro, mas não empresta estabilidade à bicicleta, nem a noção de equilíbrio que a criança precisa para aprender.
  • O que pode fazer na fase das “rodinhas de apoio” é atar uma corda grossa ao pilar do assento, que manterá a bicicleta direita, ajudando a criança a manter o seu equilíbrio. À medida que a criança ficar mais confiante, a corda pode ser desapertada, mas terá sempre essa segurança no caso de a bicicleta querer virar.
  • Em vez de segurar a criança fisicamente, experimente enrolar uma toalha grande à volta da sua cintura (formando uma espécie de corda), com as pontas voltadas para trás. À medida que a criança vai estabelecendo o seu próprio equilíbrio sobre a bicicleta, você que a acompanha da parte de trás, dá uma ajuda com a toalha, que a mantém estável sobre o assento. É uma espécie de rede de segurança que as apoia quer quando estão a aprender, quer se tiverem o azar de cair.
  • Prepare-se para ver a criança cair muitas vezes e esteja preparado para convencê-la a voltar a tentar, mesmo quando mostra sinais de desistência.
  • Quando a criança conseguir finalmente andar de bicicleta sozinha, fomente esta atividade, organizando passeios de família.

Classifique o artigo