15 dicas para criar crianças criativas | Pequenada
Início
>
Educação
>
15 dicas para criar crianças criativas

15 dicas para criar crianças criativas

15 dicas para criar crianças criativas
Miúdo esperto
Crédito da Imagem: 1

Entre a televisão, os DVDs, o computador e os jogos de consola, as crianças estão mais amigas das altas tecnologias e dos gadgets – ou seja, daquilo que já está pronto a consumir e ainda por cima muito facilitado – do que das suas próprias mãos e imaginações que, bem estimuladas, podem revelar pequenos grandes artistas. Criar crianças criativas é mais fácil e divertido do que imagina e saber pensar de forma inovadora e sem limites é uma excelente ferramenta para a vida.

  1. Faça questão de organizar atividades criativas que possa desenvolver com os seus filhos, pelo menos uma vez por semana. Por exemplo, a tarde de sábado pode estar reservada para pintarem um mural na parede do jardim ou então para fazerem artes decorativas ou uma sessão de cozinha infantil. Varie muito, para que possa perceber quais as atividades criativas mais apreciadas e, quem sabe, descobrir algum talento escondido. Tenha uma lista de possíveis passatempos para os dias chuvosos ou quando a pequenada está especialmente irrequieta.
  2. A vossa própria casa deve ser um local de inspiração. Faça questão de encher as paredes de arte, fotografia e ilustração; tenha sempre música a tocar e introduza a pequenada a todo o tipo de géneros musicais. Se puder, crie um “cantinho artístico” em casa – recheado com papel, cadernos, tintas, marcadores, lápis de cera, tecidos, plasticina, revistas velhas, cola, etc. – onde as crianças possam expressar a sua criatividade de forma espontânea.
  3. Motive as crianças para desenvolverem projetos distintos de tudo aquilo que já viram, ou seja, incentive-as a terem as suas próprias ideias e a executá-las. Pode fazer perguntas como “o que será que aconteceria se…” para estimular a imaginação. Encoraje os miúdos a terem mentes abertas e a experimentarem um pouco de tudo.
  4. Quando a pequenada pedir que seja você a fazer um desenho, inverta a situação, dizendo que adorava ver o que eles conseguiriam criar. Nunca espere perfeição ou maturidade de um projecto infantil, mas sim deve valorizar a genuidade e originalidade destas pequenas obras de arte.
  5. Tente dar igual (ou até mais importância) a todo o processo criativo, em vez de concentrar as atenções exclusivamente no resultado final. Porém, as obras-primas das crianças devem ser exibidas para toda a família poder contemplar, sendo esta uma forma de não só aplaudir a criatividade da criança, como incentivá-la a continuar.
  6. Limite o tempo que os miúdos passam em frente à televisão, computador e consolas de jogos, mas não o tempo livre que têm para realmente brincar, criar e inovar. Incentive-os a criarem os seus próprios jogos, a organizarem peças de teatro ou a elaborarem um livro ou revista – é uma excelente forma de descobrirem e se apaixonarem pela sua imaginação.
  7. Envolva-se nas brincadeiras das crianças, mas deixe que sejam elas os líderes – mesmo que não estejam a fazer as coisas como deviam ou como gostaria que as fizessem, deixe-as chegar ao fim. Desta forma, para além de ganharem confiança nas suas próprias ideias, vão poder perceber o que correu menos bem e como fazer da próxima vez.
  8. Faça questão de expor as crianças ao mundo da arte e da cultura: desde lições de música ou de dança, passando por visitas frequentes a museus, galerias de arte e até concertos e peças de teatro. Desde que possam apreciar, haverá sempre alguma coisa que vão retirar destas experiências, permitindo ainda o desenvolvimento de um gosto que os possa acompanhar durante o resto da vida.
  9. Não descure a escrita criativa (pode ajudá-los a escrever num diário, uma história ou uma peça de teatro para depois ensaiarem); a leitura (importantíssimo para estimular pequenos cérebros e fomentar o gosto por este excelente hábito; leia em voz alta – eles adoram!); e até a fotografia (com as máquinas digitais, os miúdos podem tirar centenas de fotografias sem gastar um cêntimo e será sempre muito interessante observar as suas perspetivas).
  10. Impulsione as crianças a fazerem perguntas e envolva-as nas próprias respostas, estimulando-as para dizerem “porque é que acham que é assim?” e “se isto fosse diferente?”…
  11. Encontre um equilíbrio entre atividades tradicionais como puzzles, exercícios de linguagem e matemática; e as novas tecnologias, caso de kits de ciência, pesquisar na Internet ou criarem um blogue em conjunto.
  12. Façam palhaçadas, brincam às escondidas e riam muito, afinal de contas, o humor também é uma forma de criatividade.
  13. Passem tempo ao ar livre, explorando o vosso bairro ou fazendo pequenas viagens até ao campo, praia e cidade – dê a conhecer o melhor de todos os mundos aos seus filhos. Apreciem a beleza das nuvens, das árvores, do mar, dos riachos, dos pássaros, das flores, dos arranha-céus e dos habitantes das cidades…
  14. Envolva-os em exercícios de faz-de-conta, lançando perguntas como: “se eu pudesse inventar uma máquina…”; “se eu tivesse três desejos…”; “se eu pudesse mudar o mundo…”
  15. Faça questão de, para além de transmitir sabedoria às crianças, ensinar-lhes capacidades práticas e hábitos de raciocínio – ensine-os a puxarem pelas suas próprias cabeças. Veja tudo como uma oportunidade de conhecimento e transmita isso aos seus filhos.

Classifique o artigo